Transportadores buscam alternativas para os aumentos consecutivos do diesel

O ano de 2021 está sendo marcado por consecutivos aumentos nos preços dos combustíveis nas refinarias e consequentemente nos postos de abastecimento. De acordo com dados da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), o diesel superou as máximas históricas ao considerar os valores mensais corrigidos pela inflação e em outubro ultrapassou pela primeira vez o valor de cinco reais, seguido de novo aumento em novembro. Ao todo, segundo o Valor Data, a Petrobras já acumula um crescimento de 65,5% no preço do litro do diesel desde o início do ano.

Com esse encarecimento no penúltimo mês de 2021, o diesel registrou sua sétima alta consecutiva, desde o último período de baixa, apresentado em abril. Para efeitos comparativos, em novembro de 2020, o diesel comum e o S-10 custavam em média R$3,770. Hoje, o preço médio do litro é R$5,617 para o diesel comum e R$5,681 para o S-10.

Os números são impactantes, e a falta de um planejamento para que os aumentos sejam freados preocupam a população em geral e principalmente as empresas que possuem frotas, ou utilizam esse serviço para a distribuição de suas mercadorias. O transporte rodoviário de cargas (TRC) é hoje o principal meio de abastecimento do comércio e da indústria brasileiros, sendo responsável por movimentar cerca de 65% de tudo aquilo que é produzido no país e segundo dados técnicos da Associação Nacional do Transporte de Cargas e Logística (NTC&logística), o impacto do diesel no frete é de 17,3%.

De acordo com Renan Fortes, responsável corporativo de frota da Avilan Transportes, “os aumentos de combustíveis de um modo geral geraram grande impacto nas operações da empresa Avilan. Além de uma fatia considerável da receita anual, impactam diretamente na qualidade de vida dos nossos colaboradores. Vivemos em um país totalmente dependente da malha rodoviária, razão pela qual o aumento do valor dos combustíveis afeta todos os setores da sociedade”.

Foi pensado justamente nesse desafio, somado a dificuldade dos postos de combustível com suas margens de vendas, que a startup Gasola foi criada. A plataforma conecta empresas que possuem frota a postos, permitindo uma relação comercial direta e fornecendo gestão e segurança na hora do abastecimento. O motorista cadastrado pela transportadora acessa o aplicativo e gera um token. O frentista verifica as informações e valida esse abastecimento. Uma conta corrente digital entre a transportadora e o posto é criada para que possa haver pagamento direto. Desta maneira, mesmo o posto dando desconto para a transportadora, é possível aumentar a margem de venda dele, simultaneamente.

Segundo o fundador da Gasola, Ricardo Lerner, “Entre 30% e 50% do custo de uma transportadora é diesel. Normalmente, a empresa abastece e usa um cartão de frota para pagar. Nessa transação, o posto perde cerca de metade da margem da venda. As altas taxas cobradas, somadas ao alto prazo de pagamento, limitam os postos a darem descontos para as transportadoras e por isso, a Gasola tem sido tão eficiente para as empresas e para os postos de combustíveis”.

Contando hoje com 650 postos ativos e 165 transportadoras como clientes, a plataforma tem se tornado uma solução interessante. Segundo a startup, as empresas que começaram a pagar direto os postos através do Gasola, estão conseguindo reduzir o preço do diesel na bomba de R$0,10 a R$0,40 por litro. Os ganhos com os descontos são aproximadamente seis vezes maiores do que os valores de contratação da empresa.

Para Davi Rachman, CEO da STPLog, “a plataforma Gasola é muito importante porque traz uma conveniência que nos ajuda na otimização e na gestão do dia a dia, reduzindo nosso custo de transação. Além disso, ela também tem um efeito positivo no preço, os descontos de 10, 15 e 20 centavos fazem muita diferença porque utilizamos um volume muito alto de abastecimento. Então, mesmo em períodos de altas dos combustíveis, conseguimos pagar um valor abaixo do mercado e manter nossos serviços competitivos. Hoje, não conseguimos viver sem essa solução, ela já é inerente ao nosso negócio”.

A mesma solução também foi encontrada pela Avilan Transportes: A utilização da plataforma Gasola tem influenciado positivamente na gestão de combustível da empresa. Hoje temos uma sinergia com o time Gasola, e acredito que uma otimização de processos ocorreu após a nossa parceria com a ferramenta”, acrescenta, Renan Fortes.

Na visão do CEO da Gasola, a tendência é que os preços dos combustíveis continuem instáveis. “Enquanto o real estiver desvalorizado comparado ao dólar, os aumentos continuarão acontecendo acima da inflação. Isto aumenta ainda mais a relevância de se conseguir economia em combustível para as empresas que possuem frota. Toda economia, seja em desconto ou em melhoria de consumo, faz toda a diferença”.

FONTE: NTC – https://www.portalntc.org.br/transportadores-buscam-alternativas-para-os-aumentos-consecutivos-do-diesel/

Fechar Menu