CNT alerta governo federal sobre problemas no transporte internacional de cargas provocados por medidas sanitárias implantadas por países vizinhos

CNT alerta governo federal sobre problemas no transporte internacional de cargas provocados por medidas sanitárias implantadas por países vizinhos

Argentina, Chile e Peru implementaram medidas sanitárias, com vigência nas duas últimas semanas, exigindo que o ingresso de motoristas estrangeiros nesses países deve ocorrer mediante a apresentação de testes negativos RT-PCR realizados com uma antecedência inferior a 72 horas. 

Em ofício enviado ao presidente da República, Jair Bolsonaro, a CNT afirma que as medidas trazem problemas operacionais e de fluxo nas fronteiras do Brasil, entre os quais: o represamento de cargas de exportação e importações; o aumento de custos logísticos não somente relacionados aos testes, mas também aos tempos ociosos em fronteira aguardando os resultados; e a elevação da inconformidade dos motoristas (tripulantes) que deverão se submeter a mais esse desafio no universo de restrições já enfrentadas. 

A CNT sugeriu, entre outros pontos, a reciprocidade de tratamento e que sejam iniciadas negociações multilaterais, com os países envolvidos, para a suspensão ou o adiamento da implantação das medidas, de modo a possibilitar a instalação de infraestrutura para coleta e análise de testes nas fronteiras do Brasil.

Enquanto não há um posicionamento oficial do governo federal, o setor de transporte está se mobilizando para atender às exigências. A Unidade do SEST SENAT de Uruguaiana (RS), por exemplo, cedeu a sua estrutura para que laboratórios conveniados realizem os testes RT-PCR nos motoristas profissionais da região. Além disso, os transportadores de outras localidades têm se articulado para viabilizar as testagens no tempo exigido.

FONTE: CNT

Fechar Menu