Anel Viário de Fortaleza tem novos segmentos liberados ao tráfego de veículos

Anel Viário de Fortaleza tem novos segmentos liberados ao tráfego de veículos


Mais uma ótima notícia para o povo cearense. As obras no Anel Viário de Fortaleza avançam e novos segmentos estão sendo finalizados e entregues à população. Nesta terça-feira (9), o tráfego sobre o viaduto da CE-065 foi liberado. O trecho faz a ligação entre os municípios de Fortaleza e Maranguape. No mesmo dia foi autorizada a passagem na pista da BR-020/CE sob o viaduto, no sentido Caucaia-Maracanaú. Desde o fim de janeiro, os motoristas já podiam trafegar no sentido oposto da rodovia. Agora, o trânsito na região ganha ainda mais fluidez.

A obra de duplicação dos 32 quilômetros do Anel Viário de Fortaleza é realizada por meio de um convênio entre o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) e a Superintendência de Obras Públicas (SOP), órgão vinculado ao Governo do Estado do Ceará. A autarquia é responsável pela aprovação dos projetos e repasse de recursos. Já à SOP cabe a execução e a fiscalização dos serviços.

Orçada em R$ 257 milhões, a obra está com todos os recursos financeiros assegurados pelo Ministério da Infraestrutura, o que vem garantindo a continuidade dos trabalhos. Questões relacionadas às desapropriações já estão sendo solucionadas, restando apenas alguns pontos específicos para o avanço das obras. Assim, a previsão é de que todos os trechos sejam finalizados e entregues à população ainda em 2021.

IMPORTÂNCIA – Responsável por fazer a interligação das rodovias que chegam à capital cearense (CE’s 010, 040, 060, 065 e BR’s 020, 116 e 222), o Anel Viário faz parte da BR-020/CE e passa por obras de duplicação que aumentarão a capacidade de tráfego da rodovia federal, melhorando o fluxo de trânsito e impulsionando a infraestrutura rodoviária do estado.

Com isso, haverá uma melhor conexão entre os principais portos marítimos do Ceará (Porto do Mucuripe e Porto do Pecém), o que irá favorecer toda a Região Metropolitana de Fortaleza e beneficiar diretamente a produção industrial do estado.

FONTE: Ministério da Infraestrutura                

Fechar Menu